Home EDUCAÇÃO Notícias

Educação

Programa ViraVida realiza ato conta a violência sexual no Pará

E-mail Imprimir
AddThis Social Bookmark Button

 

capa matéria
Em alusão ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, ocorrido em 18 de maio, o Programa ViraVida, do SESI, realizou um ato de conscientização em frente ao Terminal Rodoviário de Belém, em São Brás. Na ocasião, os jovens participantes do Programa protagonizaram peças teatrais e apresentações de música e dança com a temática do enfrentamento da violência sexual. Além disso, o evento reuniu técnicos e parceiros do ViraVida, que distribuíram folders, apresentaram cartazes e fizeram discursos de conscientização para alertar a sociedade de que é dever de todos zelar pela proteção da infância e juventude.


A ação atraiu os olhares de quem passava pela entrada do terminal. A ciclista Maria Ana assistiu as apresentações de dança e teatro enquanto acompanhava uma amiga até a rodoviária. Para ela, ações de conscientização são necessárias porque mantém as pessoas atentas à questão do abuso e exploração sexual. “Eu acho que é bom esse tipo de campanha porque a gente fica alerta, né? Ainda hoje em dia tem gente que faz vista grossa sobre isso, que é uma coisa que acontece ao nosso redor toda hora e todo dia”, relata.


Estatísticas do Disque 100, canal de denúncias telefônicas ligado à Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH-PR), mostram que em 2015 foram feitas 4973 denúncias de violação de direitos de crianças e adolescentes no Pará. Desse total, 819 foram denúncias de violência sexual. No Brasil, foram mais de 153.500 denúncias de violação de direitos da criança e adolescente, sendo mais de 17 mil delas relacionadas à violência sexual.

Entrevista - FláviaO alto número de casos relatados mostra a importância de ações de combate a esse tipo de crime. A coordenadora operacional do ViraVida no Pará, Flávia Monteiro, explica que as consequências do abuso e exploração sexual são sérias e podem acompanhar as vítimas pelo resto da vida. “Temos observado que quando ocorre o abuso ou exploração sexual contra crianças e adolescentes, as vítimas acabam tendo uma baixa autoestima. Isso é uma coisa que vai influenciar pro resto da vida porque traz diversas outras dificuldades, como a questão da baixa escolaridade, já eles perdem a vontade de estudar; a questão dos vínculos familiares que se tornam fragilizados ou até mesmo rompidos; a perda da confiança em si mesmo e o tudo isso faz com que a vítima tenha uma baixa capacidade pro estudo e pro mercado de trabalho”, relata.


Parceiros – Para o enfrentamento ao abuso e exploração sexual, o ViraVida conta com uma rede de parceiros em 18 estados do Brasil. No Pará, entidades como Projeto Reviver; Lar Fabiano de Cristo; FUNPAPA, por meio do CREAS Manoel Pignatário e Abrigo Dulce Accioli; UREMIA, Propaz, Santa Casa e Renato Chaves também participaram da ação de conscientização do dia 18.


Além disso, a ação no Terminal Rodoviário foi a primeira em que o Juizado da 1ª Vara Cível da Infância e Juventude, do Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJPA), participou como parceiro do Programa ViraVida. Para a comissária da Infância e Juventude do TJPA, Ivone Lourinho, a rede de parceiros é importante para fortalecer o movimento e dar visibilidade à causa. “Ter uma rede de parceiros é fundamental. Nós temos contato maior nessa rede com os conselheiros tutelares e com a DATA, mas com o SESI é a primeira vez que realizamos essa parceria. É uma grande novidade e uma alegria saber que o SESI faz esse trabalho e faz parte dessa rede de proteção. Realmente eu fiquei surpresa quando eu li sobre o que se tratava no ViraVida, achei um trabalho bonito e que precisa ser cada vez mais mostrado pra sociedade”, relata.


Histórico - No dia 18 de maio de 1973, uma garota de 8 anos foi sequestrada, drogada, espancada, estuprada e assassinada em Vitória, capital do Espírito Santo. O corpo de Araceli Cabrera Sanches apareceu desfigurado por ácido em uma rua movimentada da capital capixaba. Apesar da repercussão do caso, as denúncias não foram suficientes e os acusados do crime saíram impunes. Para conscientizar a sociedade da importância de denunciar crimes dessa natureza, a data da morte de Araceli se tornou o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.


Apresentação teatralO Programa ViraVida foi criado pelo SESI em 2008 e atende adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social entre 16 e 21 anos, com foco nas vítimas de violência sexual. O jovem em situação de vulnerabilidade social é aquele que, de alguma forma, está excluído das políticas públicas de saúde, educação, cidadania, esporte, lazer e cultura e do acesso a bens de consumo. Por conta dessa vulnerabilidade, esse grupo está sujeito a cair na rede da exploração sexual ou sofrer violações por parte da própria família e do Estado.


O ViraVida promove restituição de direitos, oferecendo educação continuada, acompanhamento psicossocial, educação profissional e inserção no mundo do trabalho. No programa os jovens têm a oportunidade de resignificar a dor e o sofrimento, transformando as carências em competências o que os auxiliará no seu desenvolvimento como ser humano, favorecendo o seu crescimento social e pessoal. Em Belém, cerca de 500 jovens já foram atendidos pelo programa e, desse total, 52% já foi inserido no mundo de trabalho.

 

SESI e SENAI participam de Semana Nacional de Aprendizagem

E-mail Imprimir
AddThis Social Bookmark Button

seminarioviravida 505x180

Com o objetivo de orientar jovens de escolas públicas e empresas em geral sobre a importância dos programas de aprendizagem na inserção legal de jovens no mercado de trabalho, o Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região realizou a Semana Nacional da Aprendizagem. O SESI e o SENAI do Pará participaram da programação durante os dois primeiros dias, levando um estande com informações sobre o Programa ViraVida e os cursos de capacitação profissional do SENAI voltados para formação de jovens para a indústria paraense.

Os adolescentes em situação de vulnerabilidade social atendidos pelo Programa ViraVida também participaram da programação, que incluiu palestras sobre direitos, educação profissional e combate ao trabalho infantil. A coordenadora do ViraVida no Pará, Flávia Monteiro, explica que a participação no evento faz parte da reestruturação do programa, que agora inclui em seus objetivos o ingresso do jovem atendido no mercado de trabalho por meio da aprendizagem. “Este ano, o ViraVida está se voltando também à aprendizagem. Por isso, desde já é interessante que o nosso público entenda os direitos e deveres do aprendiz e que ele fique por dentro das oportunidades que podem surgir nesse segmento. Os jovens atendidos por nós são futuros candidatos aos programas de aprendizagem”, afirma Flávia.

Dados de 2014, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostram que o Brasil possuía mais de 3 milhões de crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil. Desse total, 84% estava na faixa etária de 14 a 17 anos​ e, portanto, aptos a ingressar em programas de aprendizagem. A diretora de Educação e Tecnologia do SENAI Pará, Lucia Peres, ressalta a importância do trabalho legal para adolescentes e jovens. “A nossa participação no evento teve o objetivo de orientar adolescentes e jovens sobre como ingressar nos programas de aprendizagem. Essas são iniciativas importantes, pois permitem que o jovem de 14 a 23 anos entre no mercado de trabalho de forma legal, com direitos trabalhistas garantidos e sem a necessidade de interromper os estudos”, explica.

O evento foi uma realização do Programa de Combate ao Trabalho Infantil e de Estimulo à Aprendizagem, do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT). A Comissão Regional do Programa é coordenada pela Desembargadora Maria Zuíla Dutra e pela Juíza do Trabalho Titular da 2ª VT de Belém, Vanilza Malcher.

Para saber mais sobre a atuação do SENAI em programas de aprendizagem, entre em contato com o Centro de Educação Profissional Getúlio Vargas pelo telefone (91) 3366-0900.

Para saber mais sobre o Programa ViraVida, entre em contato com a Gerência de Qualidade de Vida do SESI Pará pelos telefones (91) 4009-4951 e (91) 4009-4973 ou pelo e-mail
qualidadedevida@sesipa.org.br.

 

‘Voto Cidadão’ conscientiza sobre impostos e a importância do voto

E-mail Imprimir
AddThis Social Bookmark Button

Voto Cidadão

Para orientar o cidadão a ser um bom contribuinte e como cada um deve escolher bem os seus gestores e acompanhar a aplicação adequada desses recursos, o Sistema Federação das Indústrias do Estado do Pará (FIEPA) - por meio do seu Conselho Temático Permanente de Responsabilidade Social e de Educação e do Serviço Social da Indústria (SESI Pará), retomou o projeto ‘Voto Cidadão’. O lançamento aconteceu no dia 17 de março no auditório Albano Franco, da FIEPA.


O Voto Cidadão teve origem em 2010, em uma parceria inédita com o Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE), o Ministério Público Federal e a Ordem dos Advogados do Brasil, seção Pará (OAB-PA). A intenção é levar informação a diversos espaços, como empresas, escolas, centros comunitários e outros locais, tudo com o apoio de livros, cartilhas, vídeos educativos e a peça teatral ‘Senhor cidadão, você é o patrão’.

Clique aqui e ajude a divulgar o Voto Cidadão


“Evoluímos nos últimos anos, levando a peça a escolas, nos apresentando para grandes plateias, disponibilizando o material online, o que facilita a divulgação e o aumenta o alcance de visualizações. Um avanço que teremos é a veiculação da campanha em VTs que serão transmitidos pela televisão, o que deve gerar um interesse pelo assunto desde agora, meses antes do período eleitoral”, detalhou o Superintendente do SESI Pará, José Olimpio Bastos.
As inserções serão durante a programação da TV Liberal. “O país inteiro está se mobilizando, debatendo sobre política e o projeto chega em um momento muito propício para reforçar essa conscientização. Não tivemos dúvidas em apoiar e esperamos que essa contribuição faça com que nossos cidadãos reflitam e possam se sentir patrões, como diz a peça teatral”, disse Lauro Teixeira, director de programação da TV Liberal.


Para Felipe de Brito, secretário de Tecnologia da Informação do TRE, o projeto é retomado em um momento muito oportuno. “O país está em ebulição e o Voto Cidadão mostra como o poder está em nossas mãos, nas mãos do povo. Muitos candidatos apresentam diversas propostas e é importante avaliar quem poderá cumprir essas promessas. Cabe a todos nós fazer a melhor escolha pela nossa cidade, estado ou país”, falou Felipe.


Para a OAB Pará, a iniciativa esclarece a população sobre o seu papel como cidadão. “Por meio do Voto Cidadão todos podem perceber a importância da sua participação no processo democrático. Independente de partido é nossa responsabilidade elergermos os nossos governantes. É pelo voto que vamos mudar o quadro em que nos encontramos”, para Alberto Campos, president da instituição.


Já Nayana Fadul da Silva, procuradora da República, destacou a maneira lúdica de repassar a mensagem de conscientização. “Temos que ter em mente que não se trata de partido ou candidato e sim de se tornar um cidadão não de direito, mas de fato. Nunca se viu tantos jovens falando de política e temos que aproveitar esse momento para aproximar ainda mais pessoas de iniciativas como o Voto Cidadão. Parabenizo o Grupo Experiência pela forma brilhante que passa a mensagem do projeto e a FIEPA e o SESI pelo projeto”, encerrou a representante do Ministério Público Federal.

 

Curso de pré-vestibular do SESI abre inscrições

E-mail Imprimir
AddThis Social Bookmark Button

prevestibular2016

Trabalhadores da indústria e seus dependentes que buscam uma vaga nas universidades paraenses, já podem fazer sua inscrição na sexta turma do curso pré-vestibular do SESI. As aulas iniciam neste mês de março.

Confira o edital completo

Os interessados devem se dirigir à Gerência de Educação do SESI (localizada na Travessa Quintino Bocaiúva, nº 1588, 3º andar – bloco B) ou na Escola SESI Ananindeua (Av. Cláudio Sanders, 1590), ou obter informações pelos telefones (91) 4009-4921 / 4938 / 3255-1288. Após a inscrição, os candidatos passarão por um processo seletivo para ingressar no curso.

Para 2016, o SESI Pará ampliou o número de vagas do curso preparatório. “Serão 40 vagas no SESI Indústria Saudável e mais 40 na nova escola do SESI em Ananindeua. Ampliamos a capacidade do curso devido à grande procura e ao nosso compromisso de garantir a melhoria educacional dos alunos e desenvolvimento social aos trabalhadores da indústria e seus dependentes”, explica Márcia Argueles, gerente de educação do SESI.

Resultados – Dos alunos que integraram o curso em 2015, 17 foram aprovados nos processos seletivos paraenses. No total, foram 21 aprovações nas universidades públicas e privadas, recorde entre os cinco anos de realização do curso. “Nossa avaliação é de que melhoramos o curso em 80%. Passamos a monitorar mais de perto as aulas, com acompanhamento de duas pedagogas em sala de aula full time, aplicação de simulados aos finais de semana, ou seja, os alunos estavam constantemente sendo avaliados”, diz Márcia Arguelles, gerente de Educação do SESI Pará.

A gerente considera um sucesso o resultado e espera que a turma de 2016 também tenha um bom desempenho. “A vida estudantil de um trabalhador exige uma dedicação diferenciada. Ele lida com a rotina diária de trabalho, às vezes com troca de turno no trabalho, com a manutenção da família e até troca de endereço. Tudo isso dificulta que ele prossiga os estudos, mas também mostra o quanto os nossos alunos são guerreiros e vencedores. Todos estão de parabéns e são exemplo para a próxima turma que começa em março”, completa Márcia.


 

Professores da Escola SESI Ananindeua recebem capacitação

E-mail Imprimir
AddThis Social Bookmark Button

capacitacaosesi 505x180


Salas de aula com ferramentas modernas e interativas; uso de vídeos, jogos e portal em conjunto com o livro didático; professores capacitados e ambiente propício para a criatividade do estudante. Estas são algumas das soluções em educação que estarão disponíveis na Escola SESI Ananindeua, que iniciará o primeiro ano letivo em fevereiro deste ano.


Os professores contratados para atuar na nova unidade conheceram parte da metodologia usada nas Escolas SESI durante uma capacitação no mês de janeiro. Na ocasião, a assessoria pedagógica da SOMOS Educação apresentou aos novos docentes o Sistema de Ensino SER, material didático utilizado pelo SESI no Ensino Fundamental I e II. Além do material físico, o sistema traz vídeos, jogos educativos e até mesmo modelos e sugestões para a composição do plano de aula. “Isso exige que os professores tenham um contato maior com a parte digital do material didático e por isso o SESI dá suporte para que o professor aproveite ao máximo todas as ferramentas disponíveis em sala de aula”, explica a diretora da Escola SESI Ananindeua, Gláucia Monteiro.


Com a globalização, grande parte dos estudantes já possui familiaridade com novas tecnologias da informação e comunicação (TICs), como tablets e celulares, por exemplo. Para acompanhar essas mudanças nas quais os alunos já estão inseridos desde cedo, as escolas SESI se apropriam das TICs com novas linguagens e estratégias de ensino. “Hoje, o aluno não quer aprender apenas copiando do quadro e vendo uma figura estática no livro. No SESI, incrementamos as aulas exibindo as informações em Smart TVs de 60 polegadas. Assim, mais do que ler um texto e visualizar uma figura, o aluno consegue aprender o conteúdo com muitos detalhes e de forma atraente”, ressalta Gláucia.


capacitacaosesi1 505x180Ruth Coelho é uma das docentes contratadas para o Ensino Fundamental I na Escola SESI Ananindeua. Apesar de já ter trabalhado com recursos digitais, a professora participou da capacitação e está animada com as possibilidades oferecidas para o melhoramento das aulas.  “A nova pedagogia pede que a gente forme cidadãos críticos, que saibam dos seus direitos e deveres na sociedade. Eu acredito que essa metodologia e toda essa forma de sistema de ensino contribui justamente para essa formação crítica”, avalia Ruth.


Nova Unidade – A Escola SESI Ananindeua é a 15ª unidade do SESI no Pará e foi projetada de forma totalmente sustentável, com captação de água da chuva e reaproveitamento do recurso, além de sistema fotovoltaico que utiliza painéis de captação de energia solar. O prédio segue conceitos de sustentabilidade no Pará e já serve de exemplo para outros projetos de engenharia e arquitetura na região metropolitana de Belém e outros municípios paraenses.


O espaço é adaptado para alunos com necessidades especiais e possui laboratório de ciências e informática, além das aulas do Lego Zoom e Eureka.in, metodologias inovadoras que apresentam conteúdos em formatos mais atraentes aos alunos, como projeções em 3D. A nova escola receberá alunos da Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio, turmas de Educação de Jovens e Adultos e curso Pré-vestibular.


Para mais informações sobre matrículas nas Escolas do SESI no Pará, entre em contato com a Gerência de Educação pelos telefones (91) 4009- 4921 / (91) 4009-4923 ou pelo e-mail gerenciadeeducacao@sesipa.org.br

 
Página 1 de 11
Follow us on Twitter

Acesso Rapido

Banner-educacao

carinho_de_verdade

banner-eletrnico_facebook-SESI-Par
banner site-redes

Publicidade

Banner Eletrônico SESI EAD 

 

 

Twitter

 

Últimas Notícias

Mais Acessados